Doe Sangue

Com dificuldades para suprir a demanda da região, Hemonúcleo de Piracicaba, instalado na Santa Casa, precisa de mais doadores.

Se o seu interesse, ao doar sangue, é conseguir uma folga no trabalho, não deixe de ir no Hemonúcleo de Piracicaba, na Santa Casa. Afinal, eles precisam atender a demanda de bolsas de sangue, já que neste período de começo de ano, sempre há queda nas doações. Mas não é de ‘dia livre no trabalho’ que se trata este ato, até porque biologicamente é bem possível doar sangue e trabalhar no mesmo dia em atividades leves. Doar sangue é uma questão de consciência social. E é isso que a direção do centro tenta passar à sociedade, com o intuito de cumprir uma função fundamental para o atendimento de pacientes em toda a região.

Eliane Camossi, assistente social do Hemonúcleo de Piracicaba, explica que é preciso obter ao menos 80 bolsas de sangue ao dia para atender os hospitais e as unidades de saúde de Piracicaba e região. Mas desde julho do ano passado os balanços mensais não passam de 50 ao dia, o que acaba sendo insuficiente. “Em todo o Brasil, houve queda nas doações, e ninguém sabe determinar o que levou a ocorrer essa baixa”, explica. Em países com a doação de sangue mais avançada na população, a faixa de doadores é em torno de 3% e, no Brasil, somente 0,5%.

“É muito comum as pessoas virem aqui para conseguir folga no trabalho, mas a gente não quer só isso; a gente quer difundir a conscientização sobre a importância da doação”, explica ele, ao salientar que o ato está ligado a uma questão cultural. “A pessoa precisa entender a importância no âmbito de toda a sociedade”, diz. Na sua sala, onde os pacientes recebem o comprovante de doação, o jovem Diego Penteado Gobett, de 20 anos, é um exemplo da cultura doadora. “Meu pai costumava vir, mas como ele já passou dos 65 anos, agora sou eu quem vem”, disse, ao informar que utilizou o dia de folga do trabalho.

No pequeno refeitório ao lado da sala de doações, o vigilante Emerson Barbosa Coelho, de 28 anos, também se mostrava feliz “por poder ajudar as pessoas”. Levado a doar sangue em 2002, por convite de um amigo, ele disse que nunca mais parou. Prestes a se tornar pai – sua esposa está grávida de sete meses do garoto Pedro Henrique –, Emerson acredita que a perspectiva de futuro da paternidade também contribui para sua constante doação. “Meu filho, com certeza, é um motivo a mais para entender a importância deste ano”, disse. Ou seja, há motivos mais nobres para doar sangue do que faltar a um dia de trabalho.

SERVIÇO
O Hemonúcleo de Piracicaba atende, para doações, de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 13h30, tendo horário para atendimento até às 17 horas. O centro fica na avenida Independência, 953 – Bairro Alto (na Santa Casa). Mais informações podem ser obtidas pelo telefone (19) 3422-2019.

Condições para ser doador
– Ter boa saúde
– Idade de 18 a 65 anos
– Peso acima de 50 quilos
– Ter repousado pelo menos 6 horas
– Não necessitar fazer atividades perigosas após a doação
– Não estar em jejum (apenas evitar alimentos gordurosos)
– Esperar quatro horas para almoçar
– Não estar tomando medicamento
– Não fumar 2h antes e 2h após a doação

Não pode doar sangue
– Se tiver gripe, febre ou qualquer tipo de infecção
– Se for portador de doenças infecciosas, malária ou doença de chagas
– Se for alcoolista crônica ou tiver ingerido bebida alcoólica há menos de 24h
– Se tiver comportamento de risco (vários parceiros sexuais ou uso de drogas)
– Se tiver contraído hepatite após os 10 anos de idade
– Se tiver tido convulsão na idade adulta
– Se estiver grávida, em pós-parto (até 6 meses) ou estiver amamentando

Por Erich Vallim Vicente, JPS Piracicaba

                     

About author View all posts Author website

Daniel Vieira

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.